Flamengo muda metodologia, e Jorge Jesus rechaça escalar jogadores “no sacrifício”

há 25 dias Por: Peter Jordan

O Flamengo entra em campo na noite desta quarta-feira (21), encarando o Internacional, em confronto que abre a fase de quartas de final da Libertadores para as equipes. A preparação dos dois times foi encerrada na última terça, e o Fla contou com uma surpresa indesejada: o atacante Gabigol, com dores musculares, teve que ser cortado do jogo. Em meio a isso, torcedores cogitaram que o camisa 9 fosse selecionado “aos 45 do segundo tempo”, uma vez que o problema não foi de gravidade acentuada. Contudo, a tendência é que o Rubro-Negro corra cada vez menos riscos nesse sentido.

Em matéria divulgada na manhã desta quarta pelo jornal O Globo, uma nova postura e metodologia da comissão técnica comandada por Jorge Jesus foi indicada. Antes sofrendo com uma sequência de lesões musculares, que deixou o Fla com poucas opções de jogadores para o ataque em diversas partidas, o treinador chegou a ter que levar Everton Ribeiro e De Arrascaeta “no sacrifício” para o duelo ante o Emelec, na volta das oitavas de final da Libertadores. No entanto, o lema agora é de fazer o atleta atingir o 100%, para depois utilizá-lo.

 

A nova linha de pensamento casa com a ideia de Jorge Jesus ter o elenco completo na reta final da temporada. Ainda segundo o veículo, agora o Departamento Médico, sobretudo Dr. Marcio Tannure – chefe do setor – passou a ter mais voz no que diz respeito à recuperação e preparação dos jogadores.

Seguindo os novos padrões, o Flamengo entra em campo às 21h30 desta noite, sem ter Gabriel Barbosa, mas contando com o apoio de mais de 60 mil torcedores nas arquibancadas. Sabendo do peso do fator casa, o Fla tenta abrir vantagem para a decisão da vaga na semifinal, que será na próxima quarta-feira (28), no Beira Rio.